Pesquisa no blog

sábado, 26 de novembro de 2016

कापितुलो ईई Enfim

Não sabia bem como começar, mas sabia que tinha de começar de alguma forma. Então olhou bem para suas mãos e decidiu ainda com o resto entre elas que deveria falar com ele ainda hoje, não poderia passar de hoje.
Levantou a cabeça e saiu depressa em direção à porta, mas antes que a abrisse completamente sentiu um baque forte do outro lado acompanhado de um gemido agudo de dor, ela não pôde acreditar, mas sim, era ele.
Ela não sabia o que dizer, nem mesmo o que fazer, se ria ou se começava a se desculpar. Então optou por se calar e correr para pegar uma toalha com gelo, parecia que havia quebrado o nariz dele, o que de fato o fez. Sangrava muito e ela assustada e culpada, óbvio, pegou as chaves do carro e disse que iam ao hospital imediatamente. Era impressionante, mal haviam passados 2 meses que ela estivera naquele mesmo hospital, voltara, mas agora não era ela a enferma. Em compensação era a causadora de tudo aquilo. Após alguns momentos e um curativo que mais parecia um escudo protetor contra alguma nova investida, ela tomou coragem e se desculpou, ele apenas sorriu, ela não entendia o porque daqueles risos, começou a achar que seria o anestésico que o medico dera, mas resolveu simplesmente perguntar e assim o fez, ele a olhou e a respondeu lembrando-a de como se conheceram. Aquela noite no restaurante que ela estava com algumas amigas e acabara desmaiando e cortando a cabeça, indo a aquele mesmo hospital. Após aquela noite eles não mais deixaram de se ver, todos os dias, quando não era no restaurante, iam ao cinema, ele a pegava no trabalho, simplesmente não mais conseguiam ficar separados por muito tempo.
Ela o olhou com uma mistura de raiva e carinho, mas o carinho foi mais forte e ela acabou rindo junto a ele.
Voltaram para a casa dela e lá decidiram passar a noite, era uma noite fria, chovia muito, isso só os fez ficar cada segundo mais próximos, seus corpos colados, a mão dele deslizavam para cima e para baixo em seu cabelo muitas vezes chegando até a nuca e esfregando a ponta de seus dedos, aquilo a deixava arrepiada e ele sabia. Seus olhares se cruzarem por um segundo e eles sabiam exatamente onde aquele olhar os iria levar.
Ele foi rápido, seus braços a puxando para bem mais perto de seu peito, os braços dela foram ao encontro de seu pescoço, um abraço apertado, e o hálito doce e quente dela percorreu toda sua orelha juntamente com sua língua, as mãos dele apertaram e puxaram sua blusa como se a quisesse arrancar dali, uma risada baixa foi o que ele escutou dela e isso o fez queimar, suas mãos desceram até sua cintura e a apertaram com ansiedade e desejo, ela o olhou nos olhos e disse EU TE AMO!! Ele segurou seu rosto com paixão e delicadeza, tirou uma mexa de cabelo da frente de seu rosto e disse TE AMO!! O beijo veio cheio de amor, ternura, carinho, mas também de euforia, desejo e até um pouco de violência, mas apenas o suficiente para se desejar mais... se amaram 1 2 3 vezes, deitaram um ao lado do outro respiraram fundo e começaram a conversar, uma conversa descontraída, brincaram, riram um do outro e foram adormecendo lentamente, não sabendo quem havia sido o primeiro a se render aos sonhos cada vez mais próximos...

Nenhum comentário:

Postar um comentário